Assim como o parto natural, o parto de cócoras oferece a mesma vantagem de recuperação rápida. As diferenças estão na posição da mãe na hora do nascimento da criança, que fica de cócoras, e na posição do bebê, que deve estar necessariamente de cabeça para baixo (posição cefálica).

A presença de um acompanhante, principalmente do companheiro é mais do que bem-vinda, por este poder participar ativamente, dando apoio com o corpo atrás da mulher. A posição conta com a ajuda da gravidade e intensifica a eficiência das contrações e o esforço da mãe, acelerando o procedimento.

Ao contrário da posição horizontal, no parto de cócoras o processo é mais rápido, bem mais confortável e a mulher não sofre compressão de importantes vasos sanguíneos, o que poderia levar ao sofrimento do feto. Outra vantagem é que a área da pélve é aumentada em até 40% e a elasticidade do períneo é menos comprometida (mantendo sua integridade), o que facilita a passagem do bebê; já na posição horizontal, o feto é obrigado como que subir durante a expulsão para vencer a forma da curva pélvica, e exige da mãe um esforço muito maior para o mesmo fim.

Pesquisas realizadas no Brasil e em outros países comprovam os benefícios desse tipo de parto. Janet Balaskas, que liderou o movimento pelo parto ativo em Londres, nos anos 1980, comprovou que o parto de cócoras, além de acelerar a recuperação, reduz incidência de depressão pós-parto e de dificuldades com amamentação.

No Brasil, o dr. Moysés Paciornik e seu filho, dr. Cláudio Paciornik, fizeram pesquisas em comunidades indígenas do Paraná sobre o parto de cócoras. Convencidos de suas inúmeras vantagens, criaram uma cadeira para ser usada em hospitais que permite várias posições para a mãe, sem comprometer o conforto do médico. Apesar da prática e eficiente invenção, alguns hospitais alegam não ter essas cadeiras à disposição, e por isso, não recorrem a esse tipo de parto. O dr. Cláudio Basbaum, além de ter tido a oportunidade de visitar aquelas reservas indígenas, pode aperfeiçoar-se na técnica do parto de cócoras na Clinica Paciornik.

Veja:

Parto Leboyer ou Nascimento sem violência
Parto normal (ou vaginal)
Parto natural
Parto cesárea (ou cesariano)
Parto sem dor
Parto na água
Parto a fórceps

Compartilhe

Facebooktwittergoogle_plusmailFacebooktwittergoogle_plusmail

Temas