minhaO Brasil é o líder mundial de cesáreas. Elas representam mais da metade dos três milhões de partos realizados anualmente no país, em torno de 55%, segundo o último levantamento do IBGE. O índice é mais de três vezes acima dos 15% recomendados pela OMS. Mesmo entre os partos normais há um alto índice de medicalização, o que torna a experiência do parto um sofrimento para o bebê. Uma situação bem diferente do que acontece quando a mulher opta pelo parto natural e humanizado baseado nos princípios do “nascimento sem violência” criados pelo obstetra francês, Frederick Leboyer.

Os cuidados do parto humanizado

O ginecologista e obstetra Claudio Basbaum, que há mais de 40 anos realiza esse tipo de parto no Brasil, ressalta que os benefícios do parto humanizado são altamente positivos para a mãe e, evidentemente, para as crianças que são recebidas com afeto, aconchegadas no seio materno, fortalecendo o vínculo mãe-bebê, dando-as o devido tempo para “aprender” a respirar e deixando-as mamar logo após o nascimento.

Para o especialista, o conceito de parto humanizado envolve obrigatoriamente o processo que se inicia desde quando a mulher descobre que está grávida e se estende por toda a gestação.

Quais os motivos e benefícios?

Ao atender com amplo respeito a fisiologia do trabalho de parto, eliminando todas as práticas rotineiras claramente prejudiciais e ineficazes que acontecem mesmo no “parto normal” até alcançar o momento soberano da acolhida do bebê. Sempre obedecendo os princípios do nascimento sem violência defendidos por Leboyer.

No parto natural, a mãe e o bebê têm o contato imediato e a maior vantagem está relacionada à amamentação. Na cesárea, o pós-operatório dificulta esse processo pela maior demora na “descida do leite” assim como pelo desconforto e maior dificuldade de locomoção da mulher após o procedimento”.

Com o parto natural, a mãe fica mais perto da criança logo após o nascimento, o que estimula a amamentação. O especialista também explica que o carinho da mãe e o contato com o leite materno nos primeiros instantes de vida são fundamentais para a saúde do recém nascido.

“É importante não só para combater a mortalidade infantil, como também para, no futuro, tornar essa criança mais segura e equilibrada emocionalmente”, finaliza o obstetra.

Confira matéria completa em: http://www.vix.com/pt/maes-e-bebes/542698/parto-humanizado-comeca-ja-na-descoberta-da-gravidez-entenda-os-motivos

Compartilhe

Facebooktwittergoogle_plusmailFacebooktwittergoogle_plusmail

Temas