A prevenção do câncer uterino é feita por meio do método padrão de exame de colo que é o teste Papanicolaou (colpocitologia oncótica). Esse teste, que leva o nome de seu descobridor, o cientista de origem grega George Papanicolaou (1883-1962), permite a observação de células malignas em seus estágios iniciais de desenvolvimento, e assim a detecção precoce de câncer de útero.

É recomendado que seja feito por toda mulher sexualmente ativa, anualmente. O material para exame pode ser retirado pelo próprio médico em consultório, em uma consulta de rotina, ou em laboratório especializado.

O especialista usa uma espátula ou pequena escova cilindrica para colher uma amostra de células do tecido do colo do útero, que, após coloração especial, é levada a exame em microscópio. Se forem detectadas células com alguma anormalidade, o médico pode pedir um exame mais detalhado da superfície do local, a colposcopia.

A colposcopia deve ser feita com regularidade em mulheres com mais de 20 anos e vida sexual ativa. A realização desse exame mais detalhado do colo do útero (com auxílio de uma fonte de luz e lentes potentes) pode ser complementada com a retirada de um pequeno fragmento de tecido (biópsia) para testes em laboratório.

O câncer de colo de útero pode evoluir lentamente, sem apresentar sintomas, por vários anos, e até passar um tempo estacionado. Por isso é importante não descuidar dos exames anuais, já que é muito fácil de detectar e de curar quando em estágio inicial.

Alguns sintomas, infelizmente nem sempre presentes, podem indicar lesão no colo do útero:

– Sangramento genital, especialmente após a relação sexual;
– Dores contínuas durante a relação;
– Corrimento contínuo, com odor e cor avermelhada.

Veja também:

Cancer de mama

Compartilhe

Facebooktwittergoogle_plusmailFacebooktwittergoogle_plusmail

Temas