baleia-azul-1492116127566_v2_900x506

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Apesar de ser um assunto comum para as mulheres, o corrimento vaginal ainda gera muitas dúvidas: qualquer secreção é corrimento? É normal arder e coçar? Preciso tratar com um médico? O Só Delas reuniu quais são os mitos mais comuns que costumamos ouvir e conversou com ginecologistas para desmistificar tudo que você pensava sobre secreção. Confira!

 

1) Qualquer secreção é sinal de corrimento. MITO!

Apesar da semelhança entre as secreções é preciso entender o que cada uma significa para não se preocupar à toa. Segundo o ginecologista Cláudio Basbaum, existem dois tipos de secreção: “A fisiológica  é incolor ou levemente esbranquiçada, fluida ou com aspecto de clara de ovo. A aparência varia de acordo com a fase do ciclo menstrual e não causa qualquer sintoma ou desconforto”, disse.

 

Já a secreção amarelada ou esverdeada, também conhecida como corrimento, segundo o médico, normalmente está associado a sintomas como coceira, odor forte e ardência. Nesse caso, o ideal é procurar o seu ginecologista para fazer uma exame de rotina, verificar se há algum tipo de infecção e começar o tratamento mais adequado.

 

2) Corrimento acompanhado de coceira e ardência é sinal de problema. VERDADE!

Se rolar um corrimento acompanhado de coceira na vagina e ardência, fique de olho! Esses são sintomas clássicos de infecção. Marque uma consulta com seu ginecologista e conte os sintomas que você percebeu para que ele possa examinar e recomendar a medicação adequada para o quadro.

 

3) Ficar de biquíni molhado muito tempo causa corrimento. VERDADE!

No verão é muito comum a gente ficar horas de biquíni ou maiô molhado, curtindo um dia de praia ou piscininha. Mas, de acordo com a ginecologista Bárbara Murayama, esse hábito é prejudicial à saúde íntima das mulheres, já que o contato da umidade da vagina com a peça molhada é um ambiente propício para a proliferação de fungos. E aí, já sabe… podem surgir aqueles probleminhas como corrimento, coceira e ardência.

 

4) Corrimento precisa ser tratado com um médico. VERDADE!

Como já falamos nos itens anteriores, o primeiro passo é saber identificar o que é uma secreção natural e o que é um corrimento para depois dar o tratamento necessário. Se a aparência do fluido tiver uma cor amarelada ou esverdeada, além de sintomas como coceira ou ardência, procure seu ginecologista para fazer exames.

 

5) O corrimento aparece por falta de higiene. MITO!

Por mais que alguns cuidados sejam necessários para evitar que o corrimento (causado por alguma infecção) apareça, ele não está relacionado à falta de higiene diretamente e sim à alguns hábito ruins: lavar a calcinha no banho e deixar secando no box, ficar o dia inteiro de roupa de banho úmida e usar calças apertadas são alguns dos grandes facilitadores da proliferação de fungos e contaminação. Portanto, é bom evitar! 😉

Dr Claudio Basbaum – Ginecologista
CRM SP-11665
Dra. Bárbara Murayama – Ginecologista
CRM 112527

Compartilhe

Facebooktwittergoogle_plusmailFacebooktwittergoogle_plusmail

Temas